Mundial SuperEnduro - 3ª etapa - Belo Horizonte - Brasil

 

 
 
 
Brasil estreia com sucesso no calendário do Mundial de SuperEnduro


Taddy Blazusiak vence etapa no Mineirinho e amplia liderança no campeonato


Motos invadiram o Mineirinho para a terceira etapa do Mundial de SuperEnduro


Veja mais fotos da prova na galeria de imagens do evento
O enduro em seu formato mais extremo esteve no Brasil no último sábado (18). Com disputas 'explosivas' o Campeonato Mundial de SuperEnduro veio pela primeira vez ao País para um grandioso evento no Mineirinho, famoso ginásio em Belo Horizonte (MG). O polonês Taddy Blazusiak brilhou na prova, terceira etapa da temporada, conquistando o topo do pódio na classe Prestige, que reúne os principais pilotos da modalidade.

Na primeira das três baterias da categoria principal, as coisas não foram nada fáceis para Blazusiak, pelo contrário, foram bastante duras com um começo extremamente desfavorável devido a uma queda logo na segunda curva. Alfredo Gomez, Jonny Walker e David Knight disputavam a ponta se alternando na liderança enquanto o polonês recuperava posições. No SuperEnduro é assim, às vezes se está por cima, mas um pequeno deslize - muito fácil de acontecer devido as traiçoiras seções de pedras ou troncos - pode por tudo a perder. O que acontece é que em uma competição como essa, mais do que em qualquer outra, o cenário sempre pode mudar até a bandeirada.


Taddy Blazusiak


Simpático, polonês conquistou o público subindo ao pódio com a bandeira do Brasil
Blazusiak comprovou que enquanto não se cruza a linha de chegada tudo é possível, saiu de trás e, com um desempenho espetacular, superou todos os adversários para vencer a corrida de abertura do evento brasileiro. Knight terminou logo atrás, já com boa margem sobre Walker e Gomez, terceiro e quarto colocados. Com uma volta a menos, Joakim Ljunggren completou a prova na quinta posição. 

Na segunda bateria as emoções estiveram a flor da pele, com a disputa que mais gerou comentários entre o público que prestigiou a prova. Um choque na última curva deixou Knigth e Gomez, que disputavam a liderança, no chão. O espanhol foi mais ágil no retorno e garantiu a vitória com o gigante inglês, que é bom lembrar, tem quase dois metros de altura, chegando colado ao adversário no salto de chegada. Acontece que Knigth não digeriu muito bem a manobra de Gomez que mudou o resultado da corrida e, após a bandeirada, deu um chega pra lá mais do que nervoso no desafeto. A direção de prova optou por relevar a discussão e manteve o resultado da bateria sem penalização aos pilotos. Blazusiak terminou em terceiro, quatro segundos depois da dupla. Walker foi o quarto colocado e Ljunggren repetiu a quinta posição.


David Knight


Alfredo Gomez
Na última e decisiva bateria, Blazusiak voltou ao comando já no início da prova. Aí já viu, ficou difícil para a concorrência impedir o triunfo do quatro vezes campeão mundial da modalidade. Blazusiak neutralizou as investidas de Knigth e venceu com uma vantagem de quatro segundos sobre o vice-líder da temporada. Walker terminou isolado em terceiro, Gomez foi o quarto e Ljunggren mais uma vez o quinto. Na soma das baterias Blazusiak foi o primeiro, Knigth o segundo e Gomez o terceiro no pódio da etapa brasileira. 

Os pilotos brasileiros que disputaram as finais sofreram com a falta de experiência em pistas de SuperEnduro. Profissional de motocross, Leandro Silva resolveu se aventurar na prova e conseguiu sua vaga na elite do evento através da vitória na bateria de repescagem, mas sofreu uma queda ainda no início da primeira bateria e com dores não voltou mais para a pista. O paranaense foi a primeira baixa entre os brasileiros, assim apenas quatro atletas nacionais completaram as três finais: Rômulo Bottrel, Nielsen Bueno, Júlio César Elizário e Gustavo Pellin. 


Jonny Walker

Com a 11ª posição na última bateria, Elizário foi o representante nacional com desempenho mais regular e somou 11 pontos no evento, um a mais que Bottrel, atual campeão nacional de enduro. Pellin também teve sua melhor apresentação na corrida de encerramento, onde foi o 12° colocado. Nielsen Bueno, que garantiu a última vaga da final com uma prova atribulada e desgastante na bateria de respescagem, sentiu o esforço da fase classificatória e teve uma participação discreta nas finais com o 14° lugar da segunda bateria como melhor resultado. 


Joakim Ljunggren

Na Junior, o italiano Giacomo Redondi, único estrangeiro presente, dominou as duas provas dando volta em todos os concorrentes. Os brasileiros Vinícius Calafati e Breno Felner subiram ao pódio da classe em segundo e terceiro, respectivamente. 


Giacomo Redondi

O evento também contou com uma bateria extra, da classe National, exclusiva para brasileiros, onde Felipe Carlete foi o vencedor. O pódio ainda teve Gabriel Badaró em segundo e Júlio César Zavatti, o Bissinho, em terceiro. O campeonato continua já no próximo sábado, dia 25, com a quarta etapa da temporada em Guadalajara, no México.


Pódio da categoria National


Uma das largadas da classe Prestige


Promotoras da Maxxis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Redação MotoX.com.br - Maurício Arruda

Fotos: Jonty Edmunds / Marcelo Andrê / Fred Mancini /Y.Sports e Divulgação